Let´s Talk About [Movies]: Help!

Por Victor de Sá

O que acontece quando uma das maiores, quiçá A maior, banda de rock de todos os tempos resolve fazer um filme? Provavelmente não é boa coisa. Mas por incrível que pareça, até é. Estou falando dos Beatles e sua filmografia feita durante sua carreira. E mesmo que diversos filmes deles tenham sido feitos, quero falar sobre somente um: Help!

Assisti Help! pela primeira vez recentemente, não por iniciativa própria, mas qual é, ver um filme dos Beatles não é algo que se nega todo dia. Então decidi que lembro suficiente da película para poder fazer um texto sobre ela.

Excelente atuação, roteiro de intensidade adequada ao público, ótimas cenas de ação e texto totalmente amarrado à trama! NOT! O quarteto britânico, tão especial como grupo de músicos, se mostra péssimo como grupo de atores (não que ninguém imaginasse ou soubesse, não foi o primeiro filme deles, afinal); roteiro bem meia boca, feito apenas para fazer propaganda dos (na época) rapazes; cenas de ação totalmente toscas e finalmente, texto totalmente sem sentido.

Então o filme é ruim? Muitíssimo pelo contrário.

Eu explico: não conheço ninguém que sequer cogite a possibilidade de um filme protagonizado por uma banda, qualquer que seja, ser bom. Na verdade o filme é tão descaradamente uma propaganda de Paul, George, John e Ringo que você até esquece disso durante a trama, e sim, o filme até tem uma trama: um grupo de cultistas da deusa Kaili percebe, durante um sacrifício ritual, que a vítima está sem o anel sagrado da deusa (ou algo que o valha, não lembro como eles chamam o maldito anel maldito). Anel este que está nas mãos, ou melhor, nos dedos de ninguém menos que Ringo Starr, o Beatle que usa esse nome justamente por gostar de ostentar anéis. Começa então uma caçada pelo anel de Ringo, que acaba se vendo ameaçado não só pelos cultistas, mas também por cientistas loucos que planejam usar o anel para conquistar o mundo. A vida de Ringo também entra em risco em vários momentos, já que ele mesmo passa a ser a nova vítima do sacrifício da Deusa.

Como eu disse, as cenas de ação são totalmente toscas, e exatamente por isso engraçadas. Não graça proposital, como nos filmes estilo “gênero-de-filme movie”, mas aquela graça pueril típica do cinema britânico de umas décadas atrás. Noção, o roteiro não tem nenhuma, novamente o espírito bretão de humor prevalece e o nonsense impera absoluto.

Logicamente, Help! é um filme muito musical, como todos os filmes dos Beatles. Podemos apreciar suas músicas em diversas partes da produção, em situações tão interessantes e bacanas que a mensagem que elas passam é “certamente era muito legal ser um Beatle”. Poxa, os rapazes moram numa casa espetacular, onde cada um tem seu cantinho especial, com muita graça e aquela sofisticação bacana do humor voltado a todas as idades.

Quanto aos atores. Diziam que George Harrison era o melhor ator entre os Beatles. É verdade. Mas em momento algum isso significa que ele era bom. Paul e Ringo são, definitivamente os piores. John fica no meio termo entre ruim e muito ruim. O engraçado é que em diversos momentos da gravação, eles contracenavam totalmente chapados de maconha. Se você assiste ao filme sem saber disso, nem dá pra notar. Mas depois que se descobre, é impossível não reparar neste detalhe.

A fotografia de Help! é bem interessante. Não é nada demais, mas também não deixa a dever. Souberam explorar muito bem os cenários e os ambientes onde a trama se passa: no campo, na neve e na praia, além, é claro, da cidade. Os efeitos especiais são… praticamente inexistentes, o que é bom, pois não tem nada de muito tosco na produção.

No fim das contas, esse é um daqueles filmes estilo Sessão da Tarde, que provavelmente marcou a infância de muitas pessoas (não a minha, infelizmente, já que só o descobri recentemente. Valeu, Mau, por ter me feito assistir). É uma divertida propaganda de uma banda que até hoje é ícone da cultura pop e arrebanha novos fãs a cada dia, mesmo tendo acabado há mais de 40 anos. Eu nem direi que é obrigatório pra quem gosta dos Beatles, eu digo que Help! é uma experiência muito legal pra quem gosta da banda E do humor britânico. Cumpre seu papel de entreter, mas dificilmente é algo que alguém assiste mais de uma vez em menos de 5 ou 10 anos. E preste atenção na trilha orquestrada que toca de fundo em vários momentos do filme. Tente lembrar de onde aquilo surgiu.

Chapéus Abaixados: 3/5


Anúncios
Esse post foi publicado em Movies e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s